Diminuir texto Ampliar texto

Não há nenhum outro

por Carla Kirilos
 
27 de dezembro de 2017
 

Em Deuteronômio 4:2, Moisés alertou Israel: “Nada acrescentem às palavras que eu lhes ordeno e delas nada retirem, mas obedeçam aos mandamentos do Senhor, o Deus de vocês, que eu lhes ordeno.” Diante desta orientação, é fácil entender que a obediência às leis de Deus deve ser integral. Não podemos adaptá-la aos nossos gostos, acrescentando ou diminuindo algo.

Assim, convido-o(a) a fazer uma profunda reflexão de todo o capítulo 4 do Livro de Deuteronômio (conhecido como o livro da Obediência). Você perceberá que o texto nos dá alguns motivos pelos quais devemos obedecer aos mandamentos Deus:

1º- Para vivermos por meio deles (v. 1). As leis de Deus foram dadas para o nosso bem-estar e com certeza o cumprimento delas prolongam e dão qualidade à vida ;

2º- Para termos sabedoria e entendimento (v. 6). O texto enfatiza o fato de que uma vida guiada pelos mandamentos de Deus se torna um bom testemunho perante os outros que passam a perceber a sabedoria existente nestes princípios;

3º- Para termos certeza de que Deus está perto quando oramos (v.7);

4º- Para que vivamos bem (v. 40).

5º- Para que se prolonguem os nossos dias (v. 40).

Obedecer a Deus não é somente cumprir regras. O texto diz “guardai, pois, e cumpri-os.” (v.6). Ou seja, devemos guardar os mandamentos de Deus na nossa mente e no nosso coração, para depois cumprir. Guardar implica uma transformação interior, que se reflete no exterior, que é o cumprir.

Se realmente queremos reverenciar a Deus como Ele merece, é fundamental que tenhamos uma vida que valoriza a Palavra de Deus, manejando-a com cuidado e obedecendo fielmente àquilo que ali está escrito, pois a soberania de Deus é incontestável, conforme bem nos chama a atenção o versículo 39: “Reconheçam isso hoje, e ponham no coração que o Senhor é Deus em cima nos céus e embaixo na terra. Não há nenhum outro.” (Dt 4:39)