Diminuir texto Ampliar texto

Tempo de jejum e oração na Central: é hora de buscar novas experiências com Deus.

 
30 de janeiro de 2019
 

De 4 a 17 de fevereiro acontecerá na Central a primeira Campanha de Oração e Jejum de 2019. Juntos, buscaremos a presença, o poder e as bênçãos de Deus sobre nossas vidas, família e igreja. Se você deseja participar desse momento, veja quais são as orientações que vamos seguir:

  • Ore pelo menos uma hora todos os dias.
  • Nos reuniremos em todas as unidades, de segunda a sexta, para orar das 6h às 7h30 da manhã.
  • Faça um esforço para que possamos orar juntos e desfrutar do poder da oração da concordância, mas caso você não consiga vir siga orando em casa.
  • Faça o Jejum de Daniel nesses 14 dias.

Jejuar é negar a nós mesmos o alimento físico de modo a dedicar tempo buscando a Deus. Passaremos duas semanas sem comer comida saborosa, ou seja, qualquer tipo de carne, doce, sorvete ou sobremesa e pães especiais. Nos alimentaremos apenas com o necessário e de maneira bem simples. Não beberemos sucos, refrigerantes, vinho, mas apenas água. E ainda faremos o jejum de televisão e internet com o intuito de dedicar mais tempo ao Senhor.

 

Dica importante

Estabeleça seus objetivos: Quais são os motivos que estão levando você a orar e jejuar? Há uma crise pessoal? Você está buscando renovação, direção de Deus ou solução de algum problema? Quando a motivação estiver bem definida dentro de você, estabeleça seus alvos e escreva-os.

Sobre o jejum

Na Palavra de Deus, o jejum está ligado à abstenção de alimentos para finalidades espirituais. Não é greve de fome com o fim de barganhar com Deus e “merecer” sua bênção. Não é dieta para propósitos físicos. O jejum é para concentrar-nos em objetivos espirituais.

 

O fato é que, na verdade, a oração e o jejum são extremamente benéficos para a vida do crente. Jesus os praticou e fortemente os recomendou aos discípulos. Quando tratou do jejum, o Mestre se preocupou com a questão da verdadeira motivação, Mt 6.16-18. Não podemos pensar que o jejum tenha poder de mudar a Deus ou forçá-lo a fazer algo que ele já tenha dito que faria. Precisamos entender que o jejum está centrado em Deus: é para buscá-lo, para adorá-lo, para dedicar-nos totalmente a ele e experimentarmos a sua vontade para nós. A profetisa Ana o adorava com jejuns, Lc 2.37; os profetas e mestres da igreja de Antioquia jejuavam, At 13.2; Deus pergunta para quem jejuamos em Zc 7.5. O jejum é instrumento para a disciplina do corpo, 1 Co 9.27; é uma forma poderosa de humilhar-nos diante de Deus, Sl 35.13, Is 58.9,14.