O que uma igreja não pode ter
6 de janeiro de 2017
união2
O que uma igreja não pode ter
6 de janeiro de 2017
Por: Priscila Ribeiro

Nos tempos de Paulo, Corinto era uma das maiores e mais importantes cidades do mundo, ao lado de Roma, Éfeso e Alexandria. Ela ficava bem próxima de Atenas, a grande capital da Grécia. Em Corinto ficava um dos mais importantes portos da época, recebendo gente de várias partes do mundo todos os dias. Muitos estrangeiros moravam na cidade, que tinha dois terços de escravos na sua população.

O apóstolo Paulo plantou uma igreja de Corinto no final da sua segunda viagem missionária. Ele passou um ano e meio pregando a Palavra de Deus naquela cidade (At 18:11) e depois foi para Éfeso, onde ficou por cerca de três anos. Enquanto estava em Éfeso, as notícias que chegavam de Corinto nem sempre eram boas: muita coisa errada estava acontecendo, havia problemas que eles não levavam muito a sério, mas eram graves! São situações que não podem existir dentro da Igreja de Cristo. Mas, por que estes problemas estavam acontecendo?

Primeiro, porque eles estavam apoiando a sua fé em pessoas, e não em Cristo. Paulo era o fundador daquela igreja, que Apolo tinha pastoreado por um tempo, e que tinha sofrido também a influência de Pedro (I Coríntios 2:4-6). Mas a igreja não era de Paulo, ou de Apolo, ou de Pedro, ou do pastor fulano, ou do pastor beltrano, a igreja é de Cristo.

Havia também algumas pessoas ou grupos que se achavam superiores aos outros, ou por serem mais “inteligentes” (I Coríntios 2:1-5) ou por serem mais “espirituais”. Paulo lembrou que nenhum líder ou grupo havia sido crucificado por nós, mas somente Cristo (I Coríntios 1:13). E que “Deus, na sua sabedoria, não deixou que os seres humanos o conhecessem por meio da sabedoria deles.” (I Coríntios 1:21) Pelo contrário, resolveu salvar aqueles que creem numa mensagem que parece loucura para o mundo (I Coríntios 1:18).

Mas, como evitar essas divisões dentro da Igreja? Será que, ainda hoje, há brigas e ciúmes dentro da Igreja? Como podemos viver em unidade?

Paulo deixa claro o valor da unidade na Igreja: “Irmãos, peço, pela autoridade do nosso Senhor Jesus Cristo, que vocês estejam de acordo no que dizem e que não haja divisões entre vocês. Sejam completamente unidos num só pensamento e numa só intenção.” (1 Coríntios 1:10)

Paulo pede que todos estejam de acordo no que dizem: para isso, em primeiro lugar, é preciso acabar com toda a falsidade e viver em transparência, ou seja, dizer o que se pensa, e deixar transparecer, com sinceridade e amor, o que se sente. Depois, é preciso haver disposição para conversar tentando entender o outro e não convencer o outro. Para vivermos em unidade, precisamos ouvir e aprender a conviver com o outro. Quantas pessoas “antipáticas” se tornam “simpáticas” depois que conversamos com elas. As pessoas, na verdade, não mudaram: o que mudou foi nossa atitude em relação a elas.

Cada um de nós precisa fazer a sua parte para evitar que estes problemas tão sérios contaminem nossa igreja. Como você tem colaborado?

/comentários