O SENHOR É QUEM ME JULGA
3 de novembro de 2017
00
O SENHOR É QUEM ME JULGA
3 de novembro de 2017
Por: Carla Kirilos

“Tudo me é permitido”, mas nem tudo convém. “Tudo me é permitido”, mas eu não deixarei que nada domine.(1 Coríntios 6:12)

Assunto nebuloso esse, não? É mais um tema que deve ser posto “ao lado” dos demais considerados “polêmicos”. Todas as coisas são lícitas? Quatro vezes em dois versículos diferentes, Paulo disse que “todas as coisas são lícitas” (1 Coríntios 6:12; 10:23). Estas afirmações são um prato cheio para as pessoas que querem justificar coisas que não são aprovadas por Deus. Se alguém levantar objeção, a pessoa replica: “Mas, todas as coisas são lícitas”. Pronto! Não precisa provar mais nada!” Será mesmo? Como proceder diante disso tudo?

Eu procuro direcionar minha vida e tudo o que faço pela Bíblia, como Palavra de Deus. Evidentemente que nem sempre temos respostas práticas e diretas para as nossas questões. Entretanto temos nas Escrituras a possibilidade de entendê-las e discerni-las. E isto deve ser feito a partir dos princípios de Deus e daquilo que para Ele é mais importante. Gostaria de rapidamente compartilhar com você daquilo que creio. Diante de qualquer assunto precisamos sempre fazer três perguntas que jamais podem faltar:

1) EDIFICA? – Paulo diz: “Todas as coisas são lícitas, mas nem todas edificam“(1 Co10:23) Edificar no sentido de construir algo de bom na sua vida, na vida de alguém. Algo de Deus, que tenha sentido espiritual, que faça bem, que me aproxime de Deus, que faça com que minha vida espiritual seja acrescida por aquilo que faço;

2) CONVÉM? – Paulo diz: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convém“(1 Co 6:12) Ser conveniente é tão importante quanto saber o que fazer. Nem sempre conseguimos os dois, por isso é que muitos problemas surgem. É importante que saibamos o que convém e o que não convém. O que deve ou não fazer parte da nossa vida. O que fica bem e o que não fica. Isso, em diferentes aspectos como: Saber se conduzir, se comportar, se vestir, se apresentar, o que falar, o que beber, lugares onde frequentar…;

3) DOMINA? – Paulo diz: “Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas” (1 Co 10:23) Se fazemos algo por causa do domínio que isso exerce sobre nós, então isso não pode ser bom. O diabo é quem quer que tenhamos uma vida de escravos. Jesus nos libertou para vivermos a liberdade de podermos fazer ou não, mediante o Espírito que habita em nós, pois: “…aquele que se une ao Senhor é um espírito com Ele.” (1 Coríntios 6:17)

Procure aplicar esses critérios às situações que quiser. Pergunte sempre: Isso edifica minha vida espiritual, é conveniente, não faço constrangido ou pressionado a fazer? Está me dominando? Estou surdo para a voz do Espírito? Vá mais profundo nas questões que lhe afligem e deixe Deus ir formando seu caráter cristão e ser o seu juiz, conforme Paulo nos alerta em 1 Co 4:4 ” Embora em nada minha consciência me acuse, nem por isso justifico a mim mesmo; o Senhor é quem me julga.”

/comentários