Um grande privilégio
8 de novembro de 2017
pexels-photo-244994
Um grande privilégio
8 de novembro de 2017
Por: Pr. Paulo Mazoni

Na segunda carta aos Coríntios, Paulo afirma que ofertar é um privilégio do crente. Assim fazendo, podemos participar da assistência dos santos, do socorro aos necessitados e sermos seus cooperadores no avanço de sua obra. Ofertar não é resultado da abundância do que temos no bolso, mas da generosidade do nosso coração, 2Co 8.2. A contribuição cristã é um privilégio e não um peso. Deve ser feita com alegria e não com tristeza. Paulo também ensina que a contribuição deve ser espontânea e proporcional, 2 Co 8.3-4. Contribuir por coação ou constrangimento não tem valor aos olhos do Pai. Devemos entregar não por constrangimento, mas na medida das posses, para que haja igualdade. O apóstolo ainda ressalta a importância da atitude e do coração. Ofertar é dar a vida e não somente valores financeiros, 2 Co 8.5. É fácil entregar uma oferta financeira a uma pessoa necessitada sem entregar com ela o coração. Antes de trazer nossa oferta, precisamos trazer nossa vida.

Paulo afirma também que toda oferta é uma semeadura recompensada pelo Senhor com generosidade, 2 Co 9.6. Quem semeia pouco, colhe pouco; quem semeia com fartura, com abundância colherá. O bem que fazemos aos outros vem sobre nós mesmos da parte do Pai. A alma generosa prosperará. A semente que se multiplica não é a que comemos, mas a que semeamos. É Deus quem nos enriquece em tudo, para agirmos com toda generosidade, a fim de que sejam tributadas a ele muitas ações de graças. Quando contribuímos, sendo fiéis nos dízimos e nas ofertas, somos muito abençoados. Seremos enriquecidos de todas as formas, para que possamos ser generosos em qualquer ocasião, assegura-nos o apóstolo, 2 Co 9.11. E enfatiza ainda mais afirmando que quando ofertamos, não apenas financiamos a obra de Deus na terra e suprimos muitas necessidades, mas também provocamos muitas expressões de gratidão ao Senhor. Muitos louvarão ao Pai pela nossa obediência, testemunho e generosidade. Que Deus nos mova à generosidade e nos faça mordomos fiéis na administração dos bens que ele já nos confiou!

/comentários