Diminuir texto Ampliar texto

14 Dias de Jejum e Oração

 
4 de agosto de 2017
 

Durante os dias 21 de agosto a 03 de setembro toda a família Central está convocada para momentos de intercessão coletivos e orações individuais. Fique ligado nas programações, envolva sua Célula e participe!

WhatsApp Image 2017-08-09 at 13.42.56

 

Sobre a campanha

Objetivo

Estabeleça seus objetivos: Quais são os motivos que estão levando você a orar e jejuar? Há uma crise pessoal? Você está buscando renovação, direção de Deus ou solução de algum problema? Quando a motivação estiver bem definida dentro de você, estabeleça seus alvos e escreva-os.

Como posso me preparar espiritualmente?

-Peça ajuda ao Espírito Santo. Comece o jejum com arrependimento, confessando cada pecado que ele lhe mostrar e creia no perdão do Senhor;
-Perdoe a cada um que o tenha ofendido. Não ore e jejue com o coração amargurado;
-Se o seu pecado exige restituição ou conserto com alguém, faça-o logo no começo do seu jejum;
-Encha-se do Espírito Santo: use músicas de adoração, prostre-se diante de Deus de joelhos. Se você fala em línguas, invista tempo orando em línguas;
-Reconheça Jesus como Senhor e recuse-se a fazer sua própria vontade;
-Invista tempo louvando a Deus e agradecendo pelo que ele fará. Encha-se de expectativas pelo mover do Senhor em sua vida. Creia nos milagres e tenha uma atitude de louvor e gratidão. Creia que Deus é o mesmo e não muda, assim como agiu com Daniel, ele fará com você: Não tenha medo, Daniel. Desde o primeiro dia em que você decidiu buscar entendimento e humilhar-se diante do seu Deus, suas palavras foram ouvidas, e eu vim em resposta a elas, Dn 10.12;
-Ao mesmo tempo, faça guerra espiritual. Resista a todos os demônios que têm se levantado contra você, sua família e seu ministério.
-Espere por muita resistência espiritual no início do jejum. São comuns pressões na mente, acusações e desânimo com o fim de nos fazer desistir;
-Ore pelos alvos estabelecidos para toda a igreja.

Alvos de oração

Pela liderança e seus familiares – pastores, coordenadores, discipuladores, líderes de Células, diáconos e professores;
Pelas Células – pelas reuniões, unidade, renovação espiritual, transformação de vida dos novos convertidos, pelos líderes em treinamento; eventos de colheita, Encontros com Deus, crescimento e pela multiplicação, a grande meta e evidência de Célula forte;
Pela Central – por avivamento espiritual, por operação de maravilhas entre nós, pelas famílias, jovens, crianças e para que sejam frustrados todos os esforços do inimigo para tentar impedir esta obra que é de Deus;
Pelas igrejas evangélicas do nosso país – para que haja unidade entre nossas igrejas e para que os pastores as liderem com temor e amor do Senhor;
Pelo Brasil – para que nossos governantes sejam cheios da sabedoria e de temor do Altíssimo na promoção da justiça e na solução dos principais problemas que o país enfrenta. Que o povo brasileiro se converta ao Senhor e veja a transformação em nossa sociedade quando virem a manifestação da sua justiça, paz e amor.

Sobre o jejum

Na Palavra de Deus, o jejum está ligado à abstenção de alimentos para finalidades espirituais. Não é greve de fome com o fim de barganhar com Deus e “merecer” sua bênção. Não é dieta para propósitos físicos. O jejum é para concentrar-nos em objetivos espirituais.

Muitas pessoas não gostam do jejum porque o associam a práticas ascéticas extremistas da Idade Média, ao farisaísmo, a algum tipo de penitência, ou simplesmente porque têm medo de sofrer problemas físicos como dores de cabeça, fraqueza ou tonturas. Esses são pensamentos de engano que o inimigo insiste em colocar em nossa mente.

O fato é que, na verdade, a oração e o jejum são extremamente benéficos para a vida do crente. Jesus os praticou e fortemente os recomendou aos discípulos. Quando tratou do jejum, o Mestre se preocupou com a questão da verdadeira motivação, Mt 6.16-18. Não podemos pensar que o jejum tenha poder de mudar a Deus ou forçá-lo a fazer algo que ele já tenha dito que faria. Precisamos entender que o jejum está centrado em Deus: é para buscá-lo, para adorá-lo, para dedicar-nos totalmente a ele e experimentarmos a sua vontade para nós. A profetisa Ana o adorava com jejuns, Lc 2.37; os profetas e mestres da igreja de Antioquia jejuavam, At 13.2; Deus pergunta para quem jejuamos em Zc 7.5. O jejum é instrumento para a disciplina do corpo, 1 Co 9.27; é uma forma poderosa de humilhar-nos diante de Deus, Sl 35.13, Is 58.9,14. A motivação mais forte, contudo, é porque o nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo declarou que seus discípulos haviam de jejuar, Mt 9.15. Como resistir a esta expectativa de Jesus?

 

 

Comentar